Ponderações, Sem categoria

Reciprocidade é fundamental

Desde que mundo é mundo alguém gosta de alguém e não é correspondido. Já contava o Sr Drummond em sua Quadrilha que João amava Teresa, que amava Raimundo, que amava Maria… e aí está uma série de amores não correspondidos. Como você gosta de alguém que não gosta de você? Burrice emocional explicaria isso, mas acho deveras pesado e prefiro pensar que é um lapso emocional, uma bobeira momentânea, ato falho ou qualquer expressão que justifique um breve período de desperdício de sentimento, sim, porque acho um desperdício gostar de quem não gosta de você. A lista para provável falta de reciprocidade é enorme, pode haver um ou vários motivos para o outro não gostar de você, mas nenhum justifica insistir na história.  O negócio é ter consciência de que o fato de você gostar de alguém não faz com ele goste de você, ter o simancol ligado, os olhos bem abertos e ao perceber os sinais de falta de retorno, pegar o seu banquinho e sair de fininho. Não é fácil, mas você pode lembrar que ficar insistindo só faz o buraco ficar maior e entra em jogo sua vaidade, ego, auto estima…nitroglicerina pura! Então antes que um caso de amor não correspondido vire um caso de amor próprio ferido, saia discretamente pela direita, de preferencia, sem fazer alarde!

Acho que você gostaria de ler também...

Deixe seu comentário