Ponderações, Sem categoria

Sem ressentimento

Já parou para pensar que aquilo que te ressente vai com você onde quer que você vá? Você carrega todos os dias, por todo o seu caminho aquele ou aquilo que te fez mal. E veja bem, não é o seu ressentimento que não vai embora, é você que não deixa ele partir. Carregando ele como uma mala velha, pesada, um pacote mal embrulhado, uma caixa cheia e desajeitada.

O seu objeto de mágoa, angustia ou rancor continua vivendo a sua própria vida, e arrisco imaginar, sem ao menos se dar conta do mal que lhe causa. Você fica ali remoendo sua mágoa, sua angustia ou seu rancor sozinho. Sozinho! Ainda que você conte para o amigo, irmão, até para o desconhecido, você vive com seu ressentimento sozinho, acredite.

Talvez você tenha se habituado ao ressentimento – o ressentimento vitimiza e, dizem, a posição de vítima é sedutora -, mas não devia, ele não combina com você, ele não combina com ninguém. Cada vez que você fala dele, do ressentimento, ou de quem te ressentiu,  sua voz sai três tons acima ou três tons abaixo, sua cara se contorce, sua respiração fica descompassada, nunca é o seu normal, é quase sempre o seu pior.

Todos nós temos dentro de nós o nosso melhor e nosso pior, o nosso lobo bom e o nosso lobo mau. Não carregue consigo nada, nem ninguém, que faça sair para fora aquilo que você tem de pior, se desfaça desse tipo de bagagem, largue a mala, o pacote ou a caixa e continue sua caminhada mais leve, pois é assim que deve  ser – e se precisar levar algo leve apenas a lição, sem ressentimento.

Ana Paula Z Feitosa

Acho que você gostaria de ler também...

2 Comments

  1. miguel noronha feyo

    02/02/2016 at 14:42

    Leve…levemente….leve o que faz bem!

    1. Ana Paula

      03/02/2016 at 14:20

      😉 só o que for leve

Deixe seu comentário